segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Manifesto solidário do Rio de Janeiro

Em solidariedade com xs presxs do 14 de agosto...
Na madrugada do 14 de outubro, o consulado do chile no Rio de Janeiro foi alvo de expressões de solidariedade a nossos compas sequestrados faz dois meses no quadro da fantasiosa e espetacularizada "operação salamandra".
Cartazes solidários e bombas de tinta mancharam as limpas paredes de tal edifício, que também aloja o consulado da grécia, onde também estão muitxs compas sequestradxs.
De longe mandamos força a nossxs companheirxs e manifestamos nosso mais profundo desprezo pelo sistema de controle social.
Também saudamos axs companheirxs mapuche em sua luta contra o processamento pela lei anti-terrorista.
Porque terrorista, sequestrador e assassino é o estado!!!
Nossos gritos ecoam de muitos lugares, estamos em todos os lugares!
A anarkia é inevitável...
Anarkistas em contra de todos os muros...

Manifestação em Santiago

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Palavras de Monica Caballero em solidariedade com os presxs antiautoritários do mundo




A prisão política é um ato cotidiano tanto para o Estado chileno como para qualquer outro, já que como bem explicam os companheiros que vivem nas terras onde domina o Estado equatoriano ? A insensibilidade da distância é também produto da cultura dominante, que traçou linhas imaginárias no mapa, fazendo-nos sentir distantes e diferentes? A solidariedade, temos que reconhece-la como uma arma contra todos os Estados e o Capital; não podemos, como antiautoritárixs combater só a autoridade que tem ingerência no lugar onde habitamos, com isso, os inimigos ganham outra batalha.

Ao redor de todo o mundo se encarcera a quem se atreva a questionar sua sacramentada paz mundial, tão amada e querida pela cidadania. A todos os estranhxs, enfermxs, anormais e desadaptadxs, lhes tem reservado seu lugar: enormes muros onde os bons trabalhadores não lhes vejam e onde muitas câmeras observam cada movimento. Aos habitantes destas estruturas de castigos lhes espera a justiça do capital, fundamentada na religião universal do culto à democracia e ao estado de direito.

A solidariedade antiautoritária deve ser um exercício constante, que as vezes, não descuida a ofensiva.

Saudações aos companheirxs presxs pela Libertação Animal e da Terra do México, veganos: Abraham, Socorro, Adrián y Braulio.

Um abraço insurreto aos habitantes do território dominado pelo Estado Grego; Kostas hy Nikos, atualmente em greve de fome. E a todxs xs que se posicionam em guerra contra toda forma de dominação, em qualquer lugar do globo.

E para os companheirxs libertárixs, anarquistas e punks, habitantes do território batizado pelo poder como Equador: suas linhas e grandes gestos chegaram aos ouvidos esta prisioneira, se agradece de coração!

A destruir todas as jaulas!!!!
Presxs em guerra para as ruas!!!!

Monica Caballero, Prisioneira Anarquista Vegana.
Centro Penitenciário Feminino, Sessão Especial de Alta Segurança, Santiago do Chile,
Fins de Outbro de 2010.

domingo, 17 de outubro de 2010

Contra o patriarcado e a sociedade carcerária: Autonomia Feminista




Grito feminista desde o México, pela memória das mulheres mortas pelo patriarcado, por uma luta que não legitime os aparatos de controle e punição capitalista. Porque a tortura e o claustro não são formas que possam acabar com a violência e a injustiça, pelo contrário, são necessários a sua manutenção a ao sistema de poder vigente. A prisão não é a solução, faz parte do problema! Faça sua parte desenvolvendo e propiciando redes de soldiariedade e relações não violentas, libertárias e horizontais com suas pessoas amadas!

estamos lutando contra os feminicídios, estamos lutando pelo fim da violência contra as mulheres…esse domingo faremos um ato numa rua aqui da cidade do méxico, um ato em memória de uma companheira assassinada, faz um ano, pelo seu ex-namorado, ato contra todos os feminicidios, porque se nos toca a uma nos toca a todas! Seu assassino está preso, mas ainda não foi julgado, e é possível que seja absolvido, alegando legítima defesa(ele a matou com 25 facadas, sendo que a primeira foi no olho, legitima defesa?), nos atos que fazemos falamos de impunidade e injustiça. Em um momento me incomodou um pouco estar sempre falando de impunidade quando não acredito no sistema punitivo, principalmente quero a abolição das prisões. Trocando idéias com amigas entendi que podemos gritar impunidade querendo justamente fazer uma denúncia ao sistema, inclusive porque o maior impune é o estado patriarcal racista. O sistema punitivo baseado nas prisões é uma merda por várias razoes. Entre elas porque é um sistema patriarcal racista desde sua raiz. E nunca um sistema assim ajudaria no combate aos feminicidios. Vamos pensar, como o sistema penal age quando são denunciadas agressões a mulheres? Bom, a maior parte dos caras que batem, estupram ou matam mulheres (isso que eu nem vou falar de agressões morais, psicológicas, verbais, que os agentes do sistema fazem piadas) não vão presos, porque ou estão no seu direito, segundo o sistema, como maridos, pais ou irmãos a quem o sistema penal designou o papel direto de punir as mulheres; ou porque as mulheres eram culpadas(obviamente segundo o sistema) porque estavam sozinhas na rua, com tal roupa, e tudo isso que sempre escutamos. Alguns vão presos: aqueles não brancos e/ou pobres que agrediram mulheres brancas ricas (lembrando que o sistema penal é patriarcal, capitalista e racista). E outros pouquíssimos vão presos: os bodes expiratórios, aqueles casos midiáticos, de alguns caras brancos ricos dos muitos que também agridem mulheres, porque o sistema precisa ter algum exemplo pra defender-se da acusação de racista. Alguém diria que a questão é reformar o sistema penal, de maneira que todos os agressores de mulheres fossem presos, bom, aí prenderíamos todos os homens, já que a própria formação da masculinidade é misógina, ensina aos homens, em sua constituição como homens, a serem violentos com mulheres, e em menor ou maior grau, todos os homens já agrediram em algum momento de suas vidas a uma mulher. Isso quer dizer que prender agressores não resolve o problema(ainda que não ignore o fato de que prender a um agressor pode salvar a vida de uma mulher), porque o problema é o patriarcado. [E prende-los aqui seria uma forma de entender o problema como responsabilidade de uns sujeitos desviantes, como exceção e não encarar o fato de que a agresao misógina é a norma da masculinidade, a regra]. É a forma como são constituídos os homens, como são constituídas as mulheres, como os homens tem mais privilégios, como as mulheres são educadas a privilegiar os homens, como é idealizado o amor romântico (possessivo e violento), como está formada a economia do lar....e não é colocando os homens em um instituição extremamente repressiva e masculina que vai fazer com que eles reflitam sobre sua masculinidade. Voltando a impunidade: falar em impunidade nos casos de feminicídios, é acusar o sistema de patriarcal, apontar para o fato de que desde a polícia, a mídia, até a própria prisão, o sistema está feito para privilegiar a homens, sobretudo homens brancos e ricos, e manter as relações de poder tal como estão. E nesse sentido falar em luta anti-carcere, anti-prisões, gritar abaixo os muros das prisões, é gritar abaixo os muros das prisões do patriarcado racista também, e isso envolve repensar masculinidades, criar relações não violentas, abrir mao de privilégios, porque enquanto um homem grita abaixo as prisões sem repensar sua masculinidade, ainda estaremos aprisionadas em muros.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Semana de agitação e propaganda pelxs presxs do “Caso Bombas”. De 12 a 19 de outubro

Chamado público à Semana de Agitação e Propaganda pela Liberdade dxs Detidxs em 14 de Agosto.

Agrupação de Amigos e Familiares pela Liberdade dxs Detidxs em 14 de Agosto.

Chile, Outubro de 2010.

Como já é de conhecimento público, no dia 14 de agosto de 2010 foi levado a cabo invasões em mais de 10 casas particulares de Santiago e Valparaíso para deter 14 pessoas acusadas de estarem envolvidas no que a mídia chilena denominou “o caso bombas”. O fiscal Alejandro Peña (famoso por seus operativos midiáticos e sua conduta prepotente) conseguiu encarcerar com prisão preventiva em regime de segurança máxima, 10 pessoas desenvolvendo um show policial, jurídico e midiático com argumentos e provas ridículas e poco consistentes (para maior informação, ver a segunda declaração de nossa Agrupação).

O que atualmente está fazendo o Estado chileno é castigar nossos amigos e familiares inventando que eles/as seriam parte de uma associação ilícita terrorista que colocou artefatos explosivos. Entretanto, eles hoje não se encontram presos porque foi possível demonstrar sua participação em algum fato dos que são acusados, e sim porque eles representam ideias e experiências de luta contra os interesses dos poderosos. Se trata de uma perseguição política por parte do Estado chileno a quem expressa em sua vida, ideias e práticas de liberdade. Em meio este show repressivo, a Lei Antiterrorista tem jogado um papel fundamental, otorgando amplas faculdades ao fiscal Peña para acusar nossos companheiros com provas absurdas que tem feito rir inclusive delegados presentes nas audiências.

Como Agrupação de Amigos e Familiares pela Liberdade dos Detidos em 14 de Agosto, acreditamos que esta jogada repressiva é marcada dentro de um contexto maior de repressão por parte do Estado chileno – com a direita hoje no poder – em direção a toda forma de descontento, mobilização social e protestos que se levantem contra os interesses dos poderosos. Hoje são nossos seres queridos ligados a ideias antiautoritárias, anarquistas e anticapitalistas que estão sendo castigados com esta lei antiterrorista criada por Pinochet, assim como também estão fazendo com os Mapuche no sul, mas amanhã poderá ser qualquer um de nós que proteste ou se manifeste por melhores condições de vida ou contra as desigualdades do sistema. Qualquer um pode ser o novo objetivo do castigo do Estado chileno que levanta shows midiáticos e montagens repressivas, aplica a lei Antiterrorista e acusa com provas falsas e sem sentido.

É por isso que diante da necessidade de que nossos amigos e familiares estejam na rua desfrutando da companhia e carinho de seus próximos, e com o claro objetivo de romper o cerco midiático de desinformação e criminalização que pesa sobre sua situação, é que como Agrupação de Amigos e Familiares pela Liberdade dos Detidos em 14 de Agosto convocamos a todas individualidades conscientes, organizações populares, coletivos e grupos de afinidade do Chile e do mundo a uma Semana de Agitação e Propaganda pela Liberdade dos Detidos em 14 de Agosto, do dia 11 de outubro até domingo 17, do mesmo mês. Nosso chamado é para expressar a solidaridade das mais diversas formas.

Não somente fazendo o chamado da Semana, como Agrupação temos preparado uma série de atividades públicas que esperamos contar com o mais amplo apoio de diferenes setores e pessoas. Nossas atividades para a Semana são as seguintes:


  • Quinta-feira 14 de Outubro, 19hrs: Marcha saindo da Plaza de Armas, centro de Santiago

  • Sexta-feira 15 de Outubro, 12hrs.: Mitin informativo fora do Centro Penitenciario Femenino (ex COF) localizado em Vicuña Mackenna entre as estações Pedrero e San Joaquín.

  • Domingo 17 de Outubro, 13hrs.: Atividade barrial de denúncia e solidariedade na Plaza Yungay (Santiago Centro). Com comida comunitária, Tinku, música e murais.


Agradecemos a todos e todas pela difusão e apoio para este chamado de solidariedade.


Porque a associação ilícita terrorista só existe na mente do fiscal Peña e na boca da mídia.


Abaixo as montagens do Estado Terrorista!


Solidariedade e Liberdade para xs detidxs em 14 de Agosto




Agrupação de Amigos e Familiares pela Liberdade dos Detidos em 14 de Agosto.

Solidaridad por lxs presxs


Chile, Outubro de 2010

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Ato em Solidariedade

Rumo ao consulado chileno em são paulo


foto: Anderson Barbosa

www.flickr.com/fotos/vidassemteto

INTERNACIONAL

*[Chile] Boletim informativo semanal da situação dos/as companheiros/as do “14 A”*



Devido ao tratamento judicial segundo a Lei Antiterrorista os/as companheiros/as detido/as em 14 de agosto ("14 A") encontram-se por ordem do
“Departamento de Segurança da Direção Prisional”, num contexto de castigo permanente, embora nem sequer tenham sido condenados judicialmente (só
midiaticamente) pelo delito que se lhes imputam, Associação Ilícita com Fins Terroristas.

Pela excepcionalidade que supõe ser tratados segundo esta lei o/as nosso/as companheiro/as encontram-se seqüestrados, durante a investigação policial,
na Seção de Máxima Segurança do presídio de Alta Segurança de Santiago (MAS), e as nossas companheiras na Seção Especial de Alta Segurança do
Centro Penitenciário Feminino (SEAS), encontrando-se, portanto, numa unidade de castigo e trânsito.

Os/as companheiros/as não têm direito à normalidade do regime interno, o que suporia, por exemplo, poder assistir às oficinas internas ou comunicarem-se
entre eles/as. Com respeito a isto, algun/mas companheiro/as pediram materiais para desenhar ou costurar, fazer yoga, ou dinheiro para comprar
jornais no interior da prisão, e tem até quem envia mensagens cheias de críticas e denúncias das ondas da Rádio 1º de Maio.

Nestes momentos observa-se por parte da direção prisional um assédio concreto contra alguns companheiros, quando são despertados à noite por
policiais com lanternas, com desfiles militares no período da manhã, assim pode-se vislumbrar a tortura psicológica que envolve a arrogância das
autoridades no regime de inclusão, para além da normalidade da prisão, como, por exemplo, quanto às buscas intrusivas e degradantes para com as visitas
ou familiares, razão pela qual um companheiro não admite que a sua visita seja incomodada em tal sentido e, portanto, não a recebe.

As companheiras seqüestradas no Centro Penitenciário Feminino viram resolvida uma pequena parte (por agora) das suas reivindicações quanto à
higiene e salubridade da seção onde se encontram: concederam-lhes água nas duchas, embora continuem impedidas de receber frutos secos regularmente
dentro das suas encomendas, o que continua como uma exigência à direção prisional.

Desde *$hilePrisión*, informando semanalmente...

Pelo fim da Lei Antiterrorista e da conseqüente liberdade dos/as nossos/as amigos/as e familiares acusados/as judicialmente em 14 de Agosto e
previamente pelos meios de *desinformação*, pela denúncia da perseguição política exercida pelo *E$tado* Terrorista,

*Rompendo o Bloqueio Comunicacional*

Tradução > Liberdade à Solta

*agência de notícias anarquistas-ana*

a luz do poente
escala a alta montanha;
no cume será a noite.

Alaor Chaves

Comunicado Andrea y Mónica (A propósito da greve de fome dxs Presxs Politicxs Mapuche e desenho de Monica) $hile

A todos os braços solidarios e mentes concientes:

Já se passaram mais de três semanas em gaiolas / reféns nas mãos do poder, que nos levou a ter uma rotina diária em que temos o discurso fraterno, criando laços mais fortes, realizando temáticas nas quais contribuem tanto pra nós como para xs mapuches: a famosa Lei Antiterrorista, que não é mais que a ação repressora do Estado contra o povo-nação mapuche. Lei que não é mais que um resquício da ditadura de Pinochet, contendo a jurisdição dual, civil e militar, sendo este último, da maneira mais dura de exercer a sua chamada "justiça", com excesso de poder, indevidas e abusivas, onde os honrrosos promotores não estão poupando esforços para mídiatizar as montagens, pagar / inventar "testemunhas ocultas" para provar que suas investigações profissionais, que conta com tortura, perseguição e o assédio de familiares e amigxs dos acusadxs. Legislação criada para lutar contra as lutas sociais, que não entrega as minimas garantias do devido processo legal, a lei que é usada para defender os direitos dos empresarios, para proteger os interesses capitalistas.

O governo dos poderosos, através do Ministério do Interior exerce a pressão ao poder jurídico, demonstrando que não há a tão pensada separação dos poderes, utilizando a objetividade zero dos meios de desinformação formal, que silenciou por mais de 50 dias a Greve de Fome dos Irmãos Mapuche. Sendo essa, um meio de pressão, onde o corpo é legitimado como uma arma, que se manifesta um grito que vai além de qualquer muro e qualquer fronteira... o silêncio, tornando-se cúmplice deste novo massacre na Araucanía, que, através da Lei Anterrorista, destinado a proporcionar tranquilidade aos Latifundiários e donos das florestas, isso nada mais é do que o modelo segregacionista e discriminatória herdada do autoritarismo militar.


Solidarizamos com xs Lamgnen no Su,l em sua luta pela autonomia, essencial para a rebeldia, que há mais de 500 anos não conseguiram silênciar. Mais de 500 anos, mantendo a luta contra a ganância do lucro, contra a invasão das terras ancestrais, contra a depredação do meio ambiente ...

Enquanto a sociedade se transformou em habitantes ignorantes da caixa quadrada e do domingo de "shopping" fazendo "zapping" entre canal e canal, onde parece que o empresário anunciando a sua guerra contra o terrorismo, aprisionando a quem parece uma ameaça a sua tão pomposa celebração dezoitera.


Enquanto isso, na nossa memória aparece a imagem de Alex Lemún, Matias Catrileo, Jaime Mendoza Collio e muitos outros que deram tudo nesta luta de libertação.


Aproveitemos essa NEWEN( força ), o fazemos nossxs, para seguir resistindo nesse calabouço, resistindo a esse sequestro!


A solidariedade é uma arma apontando ao capital!

Contra a amnésia, contra a anomia de um povo sem história!

Mónica Caballero, Presa Política Anarkista. Andrea Urzúa, Presa Política Libertaria.



Sección Especial de Alta Seguridad, Centro Penitenciario Femenino, Primeros días de Septiembre, 2010.


Mas informação:


- http://www.anticarceraria.blogspot.com/

- http://www.hommodolars.org/

- http://libertadalos14a.blogspot.com/

-http://solidaridadporlxspresxs.blogspot.com/

INFORMAÇÃO RELEVANTE SOBRE A EXATIDÃO DAS PROVAS RECOLHIDAS PELO MINISTÉRIO PUBLICO!

O QUE SABEM DOS TRAÇOS?


Traços por aqui, traços por ali. Dizem que nas bicicletas, mochilas, mãos, roupas; talvez pra pensar que podem estar presentes em mais de um lugar, em mais de algumas coisas, situações ou pessoas, ou não? Tanto se falou nos ultimos dias de “ traços de TNT”, com promotores completamente ignorantes em temas químicos e juizes que só dão a sentença a partir de ignoracia. Mas todos falam dela. E o que dizer da imprensa? Parece que os jornalistas, seus editores e seus donos são os verdadeiros especialistas em peritos, já que não demoram em condenar e sentenciar as pessoas, nas que se diz encontrar TRAÇOS, mas preste atenção, porque os TRAÇOS DE TNT só existem na mente dos promotores, dos juizes e jornalistas. Tome alguns minutos, leia isso e vejamos ao que chegamos.


O que é um traço?? Quimicamente falando, um traço se define como em uma concentração menor a 10 ppm ( partes por milhão ) o menor a 10mg/L, no qual se pode dizer que equivale, se tenho uma tômbola com um milhão de bolinhas vermelhas e verdes, e busco as verdes, essas sao menos de 10 no universo total do milhão. Tambem é análogo ao dissolver, por exemplo, a medida de uma ponta de uma colherzinha com açúcar em um litro de agua …

Pouco? Muito pouco? … quase nada.



Em bioquimica tambem é usual usar esse termo, e igual a química analítica refere-se a concentrações muito pequenas ou escasas de um composto em particular, mas nesse caso dizemos que são concentrações da ordem de micromolar, isso é 10-6 M, ou seja, o mesmo caso de um em um milhão. Então, de que estamos falando? É necessario exigir a quantidade de traços encontrados, para saber quantas y que partes minimas de um milhão foi encontrada.


E o TNT ( trinitrotolueno ou 2,4,6 – trinitro-1-metilbenceno) ? Em realidade, quando se detecta esse composto, o que na verdade se mede são os ions nitrados (NO3-) y nitrito (NO2-), um ion é um átomo ou molécula carregada, dois compostos altamente expandidos na natureza e que se podem encontrar facilmente, incluso no ar que respiramos diariamente em santiago.


Atualmente não existe métodos analíticos nem instrumentos para detectar o TNT como tal, se não que o que podem fazer é medir os residuos que o TNT poderia gerar: aqueles ions mencionados anteriormente mas alguns gases como CO2 (dióxido de carbono) e N2 (nitrógeno) que para esses efeitos da pericia não é possivel medir.


Podemos encontrar facilmente nitrito e nitrato em compostos de origem orgánico como adubo pra plantas, frutas decompostas e fezes. Então aparece a duvida: se você tivese o jardim bem cuidado e a responssabilidade de adubar toda semana, devese estar de tras das grades e ser acusadx pelos meios de comunicação como terrorista porque poderia ter traços desses compostos nas mãos e nas roupas? Por que então aos/as assalariadxs que trabalham em viveros e na agricultura não xs acusam de ter traços de TNT e xs prende, e se as pessoas que mantém hortas e cultivam a terra no entorno de suas casa? Quantxs dxs presxs do 14 de agosto viviam com cachorrxs e gatxs? E se não houvessem lavado as mãos depois de catar as bostas desses companherinhxs? Mas é mais facil dizer que são terroristas do que pensar que podem ser bons cultivadorxs da terra ou convivente com outrxs animais.

Sem ir mais longe, é preciso saber tambem que nosso organismo e de qualquer animal produz nauralmente ions nitrito e nitrato a nivel celular produto do estress oxidativo, que é, entre outros fatores, a causa do envelhecimento. Então, aos olhos da promotoria, quantas bombas fabricam nossas células simplesmente pelo fato de envelhecer? Estranho, muito estranho, pra dizer o minimo.


E podemos seguir, já que essas não são as únicas fontes de produção de nitratos e nitritos. Tambem podemos encontrar esses ions em lugares tão comuns como uma construção ou um lugar com escombros, como todxs já sebemos, nesses lugares se encontram elementos como cimento, areia e rochas que tambem contem nitrito; e se a isso somamos que usualmente nas construções se utilizam explosivos para demolir cimentos antigos, aumentando as fontes de emissão de nitrito nitrato. Já … e de novo a mesma pergunta: se vou em bicicleta e tenho uma ideia ruim de estacionar-la perto de uma construção ou simplesmente passar ao lado dela? Os nitritos se aderem a bici, a roupa, ao cabelo. Estaria comentendo actos ilícitos? Como poderia pensar o Ministério Publico? Teria participação em alguma organização ilicita de carater terrorista com o fundamento de causar temor na população, apenas por usar uma bicicleta e de passo não contaminar e haver estado perto de uma construção? Absurdo, não? Então como fica para xs trabalhadorxs de uma construção? Podemos supor que milhões deles sim que devem ter a responsabilidade em muitos dos “atentados” que o M.P investiga cientificamente por alta quantidade de nitrito e nitrato que estao em suas roupas.


E ainda tem mais, cada dia se emite milhões de litros desses ions no ar que respiramos, produto dos dispositivos catalíticos dos carros, onibûs e veículos motorizados . De fato, o nitrito é um dos gases que se mede na revisão tecnica e cuja emissão aumenta quando os catalisadores não são mantidos corretamente. Em consequencia, passou-se por trás de um cano de escapamento? Adivinhem!

Esta coberto em nitrito outra vez …

Finalmente, como temos visto que são muitas as fontes de nitritos e nitratos, é pouco racional pensar que alguém esta livre deles, por mais “pura” que seja a pessoa. Então, cabe nos perguntar pelos metodos de detenção e o critério daquelxs que realizam esses ensaios “analíticos” de detenção.

Qualquer analista sério, adoraria por exemplo, saber qual é o limite de detecção do instrumento? Qual é o indice de erro e qual o erro padrão? Quem validou o laboratório que realiza essas medições ? AH, esqueci que eram as respeitaveis instituições de Carabineiros e a PDI ( Investigações ), que deve contar com bons ciêntistas de renomado prestigio ((( como ??? é … ah … sim, pois, de renomado prestigio ))). Quais são os controles que tem se utilizado para comparar e analisar os dados registrados? Existe um relatório ? Participam mais laboratórios? Qual é o nº( quantidade de vezes que se repete uma medição, posto que não se aceita cientificamente si é menor de 3) da medição? Qual é a precisão e a exatitude dos metodos utilisados para detectar esses compostos?


Só queda imaginar que o M. Publico é muito sério e que não se arriscaria a inventar resultados, e muito menos confundiria a população criando medo e temor nela, não pois, isso é coisa de terroristas.


PARA REFLETIR UM POUCO...


Saudações para todxs


Agora que já sabem, o desgosto é de gratis.

terça-feira, 7 de setembro de 2010

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

FORA AS FORÇAS MILITARES E REPRESSIVAS DO WALLMAPU!




Tinunkazo

Chega! Chega! Chega!


Está na hora da tragédia social. É hora de afogar a nosso inimigo em sangue.
Mesmo que vasculhem nossas casas e seqüêstrem nossxs irmaxs,
O existente vai continuar explodindo

Declaraçao da Coordenaçao de Familiares e Amigos 14·A

_____________________________________________________________________________________
DECLARAÇAO PÚBLICA

Coordenaçao de Familiares e Amigos pela
Liberdade das Presas e Presos do 14 de Agosto

Após viver sob a propia carne a espreita policial e perceber, como familiares e amigos que nossxs filhxs, irmas e companheirxs estao sendo julgadxs de forma caprichosa através dos meios de comunicaçao, é que tomamos a iniciativa de nos organizar para denunciar a perseguiçao política de que sao objeto através de uma suja montagem jornalística e judicial.

E mesmo que injustamente se esteja considerando como um fato a sua culpabilidade e participaçao numa inexistente associaçao ilícita, da qual temos a certeza de que nao somente é algo que sequer existe, mas que é insustentável judicialmente, estamos dispostxs a começar uma batalha por sua liberdade até as últimas conseqüências e é por isso que declaramos a seguir:

1- A figura legal de associaçao ilícita, por si mesma, é inconmensurável com as idéias, as práticas e as lógicas associativas horizontais e livres de hierarquia nas quais os e as companheiras têm se desenvolvido durante sua vida política. A orgânica que Alejandro Peña apresenta em sua acusaçao, com papéis e funçoes, funcionamento e estrutura se contradiz totalmente com as reflexoes que durante anos mantiveram fiscais, porta-vozes e ministros, lembremos das palavras do ex ministro Rossende, afirmaçoes como "sao grupos que carecem de uma estrutura e agem de uma forma muito precária, pelo que é mais difícil os desarticular, identificar, deter e sancionar”(radio cooperativa, maio de 2009) pois acontece que hoje, pela mágica açao de um fiscal inescrupuloso, existe um organigrama, divulgado pela mídia e já conhecido por todos.

2- Vamos nos encarregar de revelar por múltiplos meios cada uma das mentiras e dos interesses políticos que permeiam este caso. Temos a convicçao de que o caráter jornalístico do “caso bombas” é só a ponta do iceberg repressivo, onde nossos irmaos sao meros bodes expiatórios, usadxs para dar exemplo ao resto da populaçao a respeito das conseqüências que pode acarretar desejar a liberdade e demonstrar descontentamento, nesse sentido, sustentamos sem medo que seu encarceramento é uma perseguiçao política, um aniquilamento que reage ao contexto de convulsao e repressao generalizada que se torna cada vez mais insuportável.

3- As provas que atribuem a nossas irmas e irmais detidxs carecem de qualquer qualificaçao jurídica, sao insustentáveis por si só e apenas fazem sentido quando sao meticulosamente unidas a um preparado enfeite discursivo e cinematográfico que as relaçoes entre sí, outorgando-lhes um sentido judicial aparentemente crível; a mente e o conhecimento retórico da fiscalía, em cumplicidade com a mídia, tem dado por sentenciado antecipadamente um julgamento que aínda nao se realiza, onde ninguém parece lembrar disso chamado de presunçao de inocência. Históricamente a manipulaçao informativa tem permitido às periferias percorrer um vaivêm carente de crítica e questionamento, assim, logo de uma semana na que o assunto monopolizou noticiários e capas, inclusive programas jornalísticos, cuja rigorosidade jornalística mediocre ficou em completa evidência, aplica-se ao cercamento informativo ao que estamos dispostxs a transgredir para vociferar de todas as formas possíveis que isto aqui é uma montagem da mídia, e exigimos a liberdade de nossas companheiras e companheiros.

4- A violência que tem utilizado a polícia contra todx aquelx que ouse se opôr ao atual estado das coisas, é inquestionável pela opiniao pública e nós declaramos que esse é o verdadeiro terrorismo. Evidenciamos a excessiva violência, os balins, pancadas, pistolas, helicópteros e todo o arsenal bélico desdobrado nos operativos para capturar axs que possuam um domicílio conhecido e uma vida pública, nenhum/a era foragidx, nem se encontrava armado no momento da detençao, pelo que nao se justifica sob nenhuma circunstância o aparato de guerra amplamente utilizado. O excesso do operativo reage ao espetáculo montado e fetiche fiscal, por isso denunciamos abuso de poder contra xs 14 detidxs que deixou a diligência, as pessoas que habitavam os imóveis e em particular contra um menor de idade que já em seu primeiro ano de vida recebeu toda a violência policial sem contemplaçoes.

Sabemos do custo que tem, nos opressivos tempos que correm, manifestar públicamente nosso acérrimo apoio a nossas irmas e irmaos em prisao, porém, é nossa responsabilidade lutar por sua liberdade e seu bemestar, fazemos um chamado à solidariedade, a se informar e a romper com o isolamento.

Pelo fim da perseguiçao política e a liberdade
de nossos e nossas companheiras e companheiros.
Pela desmistificaçao da uma inexistente associaçao ilícita,
pela multiplicaçao do apoio.


Solidariedade com os Irmaos Mapuche em greve de fome

FIM À LEI ANTITERRORISTA

Coordenaçao de Familiares e Amigos pela LIBERDADE
dos Presos e Presas do 14 de Agosto
Santiago do $hile, 30 de agosto de 2010

http://solidaridadporlxspresxs.blogspot.com porlalibertadalxspresxs@gmail.com

Manifesto Anticlaustro


Um abraço apertado axs insurretxs
Um aviso ao inimgo seqüestrador

Não existe, dentro das instituições, da burocracia e do agir dos estados democráticos deste continente ou do mundo, um procedimento que possa de alguma forma aliviar nossa angústia nem representar nossos anseios. Estas palavras estão dirigidas ao que quer que reste de humano ou sensível, ou de qualquer pessoa que leia este manifesto, mas parece que estes burocratas petrificaram seu coração no mais azedo fascismo, se é que sequer chegou a existir algo de humano nesses carrascxs que fazem parte das autoridades do Estado Chileno. A alma do Estado Chileno e seus representantes perderam completamente qualquer noção de decência, humanidade e respeito. A monstruosidade, a voracidade com que esse território é governado está tentando acabar com a vida do mais belo que há nessas terras, a rebeldia e a sede de transformação social de um bando de amadxs antiautoritárixs e anarquistas.
A repressão que açoita os corpos de nossxs companheirxs, as grades, a infâmia, as asneiras faladas pela mídia, a hipocrisia, a nóia estúpida da segurança pública, a intransigência, o poder, a demência do Estado Chileno está se agravando a cada dia que passa. Até onde pretendem chegar com toda essa truculência repressiva? Muito se gabam, dizendo ser parte de uma "democracia sólida", mas a verdade é que são um dos países mais vergonhosos do continente, pois tratam com truculência todxs aquelxs que se opõem à suas leis.
O sul do Chile está em estado de sítio. Dezenas de presxs políticxs Mapuche, ano após ano, fazendo uma e outra greve de fome, exigindo respeito e atenção a suas reivindicações. Agora estão cumprindo mais uma vez mais de 56 dias em greve de fome. O Estado reage diante disso com as mais sujas manobras de repressão. A mídia aponta, a polícia dispara. A cada ano morrem vários jovens, assassinados pela polícia em suas operações de repressão à expressão de rebeldia e infoncormidade com o sistema imposto. O terrorismo de Estado se instaurou como uma manobra banal de lidar com centenas de pessoas que não aceitam o capitalismo como economia, o estado como governante, a prisão como destino, a propriedade privada como deus, o fascismo como política, o patriarcado como normalidade. Até onde pretendem chegar com tanta demência repressiva?
A terra é livre, não lhes pertence. A terra é o lar de todxs e cada um dxs seres vivxs. Nem todo mundo quer viver sob o jogo do trabalho escravo e a obediência a suas insanidades. Existem pessoas que não falam a mesma língua das autoridades. Pessoas que almejam viver de uma forma muito diferente do que é imposto atualmente. Pessoas que estão dedicando suas vidas a construir outras formas de se relacionar entre si e com xs outrxs seres vivxs. Pessoas que estão batalhando todos os dias para recuperar os espaços materiais e simbólicos indispensáveis ao desenvolvimento pleno do potencial vital de todxs e cada um dxs seres que se sintam a fim com esta proposta anárquica.
A terra é fértil, a natureza é sábia, tudo que existe tem o potencial de coexistir em liberdade e harmonia. Mas a febre de uma elite quer dominar e subjugar a existência de milhares de seres a mais nefasta servidão. Quem sabe quantos kilômetros quadrados estão destinados à morte, ao asfalto, para que um sem fim de mercadorias, das mais absurdas e doentias sejam frenéticamente transportadas para o consumo de ávidxs consumidorxs e produtorxs de lixo e mais lixo, escravos do lucro e dxs caprichxs de uma burguesia e parceirxs autoridades que não conhecem o mundo real. Esta casta vive escondida em seus pequenos castelos, sendo transportada entre helicópteros, carros, guardacostas, hotéis, jatinhos particulares e os mais bizarros delírios de superioridade, agindo como se tivessem legitimidade para tomar decisões absurdas em nome de todxs. Tornando tudo o que existe num objeto de manipulação do capitalismo e engranagem para o lucro de poucas empresas. Financiadxs pelo esforço e pela entrega vital de milhões de pessoas e animais que sequer chegam a sentir o cheiro das migalhas que lhes restam dessa produção.
A tortura está se diversificando e especializando. Os que não concordam com este mundo são espancadxs, assassinadxs, detidxs, perseguidxs, presxs, desalojadxs, foragidxs, apontados pela mídia que serve obedientemente. “Não tem pé, não tem cabeça, não tem coração que esqueça...”

A polícia chilena é uma das mais violentas do mundo. Qualquer um que visitar o país vai ver como xs manifestantes sao violentadxs cada vez que ousem erguer a cabeça e protestar contra esse mundo deshumano.
Nossos anseios não cabem em suas urnas, nossos desejos não cabem em seus programas de governo, nossa ética não se encaixa em suas leis, nossa raiva não será esmagada por seu exército particular de morte, nossa insurreição não será afogada em suas grades nem passará fome em sua economia miserável. Existe uma coisa muito mais forte, muito mais digno, muito mais contagiante que todo seu aparato militar, que é nosso amor pela liberdade.
Vocês tem o monopólio da violência, a propriedade da terra, o controle dos meios de comunicação, esses, entre outrxs aspectos, são os únicos motivos que os mantêm no poder. Porque legitimidade, de fato, não tem. Quem tem legitimidade não precisa de prisões, não precisa de polícia, não precisa de estúpidas mentias, não precisa de se esconder entre guardacostas e exércitos de cegos assassinos especializados. Quem tem legitimidade não precisa de se comunicar através de uma série de canais de televisão comprado. O tamanho das prisões e da repressão policial são o reflexo do medo daquela casta no poder que teme a resposta de todxs aqueles que oprime cotidianamente. A segurança pública é a necessidade de prevenção daqueles que sabem o tamanho da merda que estão fazendo com a vida de milhões de pessoas. Vocês inventam histórias, acusam nossxs irmaxs de "associação ilíita terrorista", montam uma farsa gigante para prender as pessoas que tiveram coragem de defender a memória de nosso irmão Maurício Morales.
Os crimes que vocês inventaram para prender nossxs companheirxs, mesmo que tivessem sido feitos, jamais vão alcançar o tamanho da violência estrutural que vocês vomitam diariamente encima de todas as pessoas. A Democracia é uma farsa, é mantida às custas da miséria e da exploração. No seu sistema não existe espaço para nós, e não queremos esse espaço, mesmo que ele fosse concedido o que queremos é uma vida sem prisões, sem autoridade, sem milicos, sem aglomerações de concreto que normatizem a existência das pessoas numa vida de servidão. Porque as cidades existem para guardar a propriedade privada, para cuidar das ruas que transportam as mercadorias e os valores que não servem a ninguém mais do que vocês e que valem muito mais do que as pessoas que o produzem.
Podem nos prender, nos calar, nos matar, não é assim, promotor, que esta guerra vai acabar...
Estamos aqui para protestar diante da tamanha covardia do Estado Chileno, que está prendendo todxs xs que se ousam lutar contra esse sistema miserável. A Michelle Bachelet, mesmo sendo supostamente de esquerda e tendo sofrido algumas das conseqüências da repressão da ditadura, é uma vergonha para o gênero feminino. Michelle Bachelet é responsável pela prisão política de mulheres Mapuche. Ignorou dezenas de campanhas de Greve de Fome que dezenas de Mapuche fizeram para exigir a liberdade de seus presxs, a retirada dos empresários de suas terras ancestrais. Exigimos a desmilitarização imediata das terras mapuche. Todos os Ministros do Interior do Estado Chileno são reponsáveis pelo assassinato, perseguição e prisão de muitxs lutadorxs. Belisário Velasco mandou matar muitxs ex-lautarinxs que não acreditaram nas mentiras democráticas. Em 2006 fez uma tosca montagem policial para prender xs anarquistas, acusando xs moradores da Okupa Mansión Siniestra de ter uma suposta "Fábrica de Molotov's". Qualquer pessoa que tenha no mínimo um dedo de testa ficaria horrorizadx com a ridiculez das supostas provas inventadas para enquadrá-lxs. Todxs os ministros do interior posteriores ao Belisário. E dezenas de funcionários tem trabalhado fortemente para acabar com nossos anseios de liberdade. Bachelet rima com Pinochet. Felipe Harboe e o Fiscal de la Prida continuaram o trabalho sujo. Agora com o novo governo de Piñera, mais fascista ainda e com o trabalho do cocainomano fiscal Alejandro Peña a situação tem atingido seu ápice de monstruosidade. O novo alvo destes psicopatas são dez antiautoritárixs e/ou anarquistas de espaços okupadxs ou acionar libertário.
Até hoje, xs expresxs políticos do Lautaro são acusadxs de qualquer crime que o Estado tenha a necessidade de castigar, apenas para mostrar serviço e provar que está no comando do pais. Mapuche, ex-lautaros e agora anarquistas e okupas estão sendo arbitrariamente enquadrados na lei antiterrorista. Como o Estado não pode assumir públicamente a motivação política de seus aprisionamentos inventa crimes inexistentes para prender arbitrariamente xs que se opõem a seu sistema, acusando-xs de terroristas.
Axel Osório, Marcelo Villarroel, Freddy Fuentevilla, Flora Pavez são alguns dxs que estão presxs sem nenhum prova que justifique. São acusadxs aleatóriamente, porque foram pessoas que lutaram contra a ditadura, no movimento Juvenil Lautaro ou no Frente. E estão presxs agora, sob julgamento militar, acusadxs de participar ou colaborar com a expropiação do Banco Security que deixou a morte do cabo Mollano.
Acontece que no Chile estão explodindo bombas. Em caixas eletrônicos, em instituições policiais, militares e/ou do capital. A autoria dessas explosões tem sido reivindicado por anarquistas anônimxs. Até hoje nenhuma pessoa foi atingida por qualquer dessas bombas, com execeção de nosso irmão Maurício Morales, que morreu com a explosão de uma bomba que carregava em sua mochila.
Maurício Morales, anarquista. Morreu na madrugada dia dia 22 de maio de 2009, a bomba que carregava em suas costas que estava destinada a uma escola de milicos. A única vida que foi comprometida por alguma bomba colocada até agora foi a dele. Uma perda imensurável e insubstituível para o coração de todxs suas/seus companheirxs no mundo inteiro. O Estado não respeitou o luto nem a dor de sua família, de seus/suas amigxs e companheirxs. Porque nessa mesma madrugada invadiu e vasculhou diversas okupas, deteu várias pessoas na tora. Tentou invadir o Centro Social Okupado e Biblioteca Sacco e Vanzetti, mas dezenas de insurretxs raivosxs fizeram barricadas a noite inteira e não deixaram a polícia se aproximar do local. Foi uma luta intensa e cansativa. Não puderam sequer chorar a morte do Mauri. O bairro inteiro foi pixado em sua memória. Mais de 20 pessoas foram detidas. E subitamente a polícia sumiu depois do dia nascer. Muito bom para ser verdade, mas era porque algo maior estava sendo orquestrado. Xs detentxs foram liberados. Mas a mídia começou a preparar o terreno para a posterior repressão.

A vida de Mauri não foi respeitada, nem as condições de sua morte, covardemente utilizada da forma mais absurda, sua memória tem sido ridicularizada pela mídia e a vida de seus amigxs e companheirxs que estão vivxs está sendo perseguida no jogo mais sujo e covarde. Desde o Brasil afirmamos que antes de dormir também abraçamos o caos e temos viva a ardente semente da revolta em nossos corações, assim como nosso amado Mauri e mantemos viva sua memória. Nossa solidariedade viva e ativa com todxs xs compas que mantêm viva e ativa a memóra de Mauri. Nossa solidariedade com todxs xs presxs políticxs anarquistas, antiautoritárixs, subversivxs, libertárixs do Estado Chileno.
Não vamos descansar até ver todxs nossxs irmxas nas ruas novamente, lutando ao nosso lado.
Vários Centros Sociais Okupados já foram invadidos, vasculhadxs e seus moradores detidxs, várias vezes. A última delas, no 14 de Agosto, levou 14 pessoas para suas masmorras e 10 delas estão ainda presxs, sob investigação, acusadxs de formar parte de uma "associação ilícita terrorista", supostamente responsáveis pelo "porte e colocação de artefatos explosivos". Este caso seria cômico, se não fosse tão trágico e deprimente. Estão sendo enquadradxs por ser amigxs do Mauri, ou por honrar sua memória ou por ser anarquistas, e tudo isso sendo usado como sinônimo de terrorismo. Atualmente, 10 dxs 14 detidxs estao em prisão preventiva, sob investigação que pode durar de 180 dias a dois anos. Não existe nenhuma prova concreta que os responsabilize materialmente por qualquer um dos crimes que são acusados. A acusação é completamente aleatória e arbitrária e sua motivação é política. Porque estas pessoas assumem a dignidade da memória de Mauricio Morales, porque são solidariedade viva e ativa com xs presxs políticxs do estado chileno e do mundo, porque okupam espaços na cidade para dar vida a uma vida livre, comunitária, horizontal, assambleária, vegana, ecológica, nômade, espontânea, feminista. Dedicam uma vida solidária axs presxs políticxs mapuche e suas reivindicações. Uma vida dedicada a uma luta contra toda forma de autoridade e opressão. Uma vida sem gaiolas, nem carrascos, nem prisões, nem propiedade privada. Porque dedicam suas vidas para cuidar de bibliotecas que qualquer pessoa não inimiga pode usufruir. Porque não aceitam sob hipótese alguma este sistema de merda que uma elite doente nos faz engolir dia a dia, no mundo inteiro.
O seqüestro é a surda medida desesperada por tentar calar aquilo que não tem vergonha, nem nunca terá. Por tentar aniquilar aquilo que resta de belo neste mundo tecnocida.


LIBERDADE IMEDIATA A NOSSXS COMPANHEIRXS SEQUESTRADXS PELO ESTADO CHILENO

Pablo Morales.
Rodolfo Retamales.
Omar Hermosilla.
Vinicio Aguilera.
Francisco Solar.
Felipe Guerra.
Camilo Pérez.
Carlos Riveros.
Mónica Caballero.
Andrea Urzúa.

PELA ABOLIÇAO DE TODAS AS INSTITUIÇOES PUNITIVAS E DE CLAUSTRO

PELA LIBERDADE E PELA ANARQUIA

LIVRES E SELVAGENS, INSURRETXS NO BRASIL

RAZZIA REPRESIVA NO $HILE


Na madrugada do 14 de agosto de 2010, fueram detidxs 14 companheirxs em Santiago e Valparaíso. As acusaçoes que esgrime o Estado contra elxs sao as de associaçao ilícita e, para alguns, manipulaçao e colocaçao de explosivos.

Desde o ano 2004, mais de uma centena tem sido os ataques a diversas instituiçoes do Estado e do Capital no $hile, reivindicadas em sua maioria por anarquistas. O Estado colocou em sua mira faz um bom tempo a pessoas e espaços que assumem e difundem o pensar e agir liberário. A “inteligência policial” até agora tem sido incapaz de provar a responsabilidade material dos ataques e responde com represálias aos que continuam se assumindo em guerra contra a autoridade. O governo tem transformado seu discurso de que os ataques era feitos por grupos difusos até criar uma temível organizaçao terrorista, baseando-se na existência de financiamentos internacionais, tentando castigar e amedrontar qualquer traço de solidariedade.

“O crime que podem provar e do que nos responsabilizamos é o de desprezar a autoridade e dessa acusaçao somxs orgulhosamente culpadxs e reincidentes até nosso último suspiro.”

C.S.O. y Biblioteca Sacco y Vanzetti

Desde Karcelona, nossa postura diante desta razzia é clara: xs companheirxs estao sofrendo as represálias por representar um perigo para esta asquerosa ordem estabelecida. Por seu pensamento, por fazer concreta a solidariedade com outrxs companheirxs presxs e com outras lutas, por atacar desde todas as frentes esta sociedade que nos sufoca em sua mera existência. A repressao nao é nada novo, e o que ocorre hoje no $hile tem ocorrido antes em outros lugares, como no caso da Itália nos casos Marini-Cervantes. Quem semeia miséria colhe a raiva, e aqui tembŕm temos nossa dose de miséria e raiva. Sentimos a pancada de nossxs companehrixs em nossas propias carnes, que ninguém ache que estao sozinhxs. *

Solidariedade com xs companheirxs presxs

COM TODA A FORÇA E A RAIVA CONTRA TODA AUTORIDADE

LIBERTAÇAO TOTAL

A SOLIDARIEDADE É UMA ARMA

O CSA Jonny Cariqueo continua funcionando, com o claro objetivo de ser uma contribuiçao a difusao de nossas idéias de liberdade. Faz tempo que a gente enfatiza a importância destes espaços públicos, e nao vamos abrir mao desta atividade em momentos difíceis para todxs xs que estamos em pé contra a autoridade.

A casinha vai continuar suas atividades: as discussoes e a abertura a biblioteca, além do mais, recebemos cpntribuiçoes para as ecomendas dxs companheirxs que estao atrás das grades, isso será feito no horário e bibloteca que se publicará a seguir.

Mandamos um fraterno abraço a todos os espaços e companheiros que hoje vai expôr as garras, aqui faremos o mesmo, sem baixar a guarda, relembrando a todxs xs que já nao estao fisicamente entre nós, tendo a coragem que esta guerra exige sem trégua.



DISCUSSOES NA CASINHA: TERÇA FEIRA A PARTIR DAS 19: HRS
HORÁRIO BIBLIOTECA: TERÇA E SEXTA DE 5 A 7 DA TARDE.

http://csajonnycariqueo.blogspot.com/

Em desenvolvimento, sobre a formalizaçao e outras ervas.

Algumas reflexoes sobre o mediático "evento" de terrorismo hispanoamericano.

A audiência de formalizaçao acabou com a prisao preventiva de metade dxs compas. Foram expostos vídeos que francamente nao dizem nada como "prova" que se encontram na internet e que falam sobre a repressao, o pun mauri, etc (supostamente sao provas que dao crédito a sua participaçao. Sendo assim, porque foram realizados pelxs compas? Os outros sao videos difusos de explosoes que nao dizem nada, salvo uma pessoa que foi vista de porte similar e contextura de um dxs acusadxs, o que como prova é absolutamente ridículo), um chamado telefônico onde uma exfuncionária do governo disse a Rodolfo que "tivesse cuidado" (Isso aí é prova de que? Vale a pena acrescentar que isso é muito compreensível, essa advertênia data de abril de 2008. Em julho desse mesmo ano Rodolfo foi perseguido jornalísticamente, mas o Jalandrito (O Fiscal cheiradao) deve ter entendido outra coisa ou é um delírio de sua cabeça afetada pela cocaína) e um semfim de questoes que realmente sao risíveis como provas, evidenciando públicamente que esta questao é um show com todas as letras, onde se raciocina dizendo "encontrou-se TNT nas roupas de tal pessoa, e como foi usada TNT em tal atentado, entao é responsável"" (???), isso sabendo que o TNT foi colocado pela polícia axs compas de la Crota.

A obsessao do cocainômano fiscal por inventar uma associaçao ilícita terrorista nao tem limites. Xs compas tem sido imputadxs por delitxs que mágicamente passam a constituir uma distribuçao de tarefas. "Supostxs líderes", "supostxs colaboradores" e "eventuais instaladorxs". Sem nenhuma prova concreta mais do que a "certeza científica" da fiscalia que em momento algum expôs (mas vai expôr) atribui a compas com nome e sobrenome a participaçao em determinadas açoes. É curioso que nao tenham feito nada por evitá-lo, sabendo do que estava sendo feito. Mas ainda mais, agora o fiscal quer enfiar uma "rede de proteçao" baseada num grampo telefônico que francamente nao diz nada além de "anda com cuidado"...plop. A prova mais "concreta" desta enorme associaçao ilícita terrorista, com papéis e cargos distribuídos, seria um chamado telefônico entre Andrea e Pablo Morales onde se "demonstraria a ascendência deste sobre o resto". Puts... pensávamos que uma estrutura real nao se baseia no tom como se fala com um compa. Imaginem algo como, por exemplo, "ei andrea, manda um abraço ao marcelo", e a resposta, "beleza". E com isso o Alejandro Peña quer comprovar que se expoe a liderança. Um completo doente o pequeneninho. O pior de tudo é que o que sai se torna tao absurdo que se torna real.

A mídia faz eco e em sua funçao nao eixa de repetir como arara o roteiro já entregue pelo ministerio a seus colaboradorxs. Por exempl, reparem na forma como sao "lidas", provas consideradas irrefutáveis que quando se refletem mínimamente sao para rir. Os videos? Que alguém explique o que isso demonstra! O chamado? Nisso insistiram demais os jornalistas, estao triturando isso da mesma forma como o fizeram com os saqueios. Mas o que isso demonstra? Nada. É idiota dizê-lo, mas realmente esta falando-se de uma rede de proteçao e ao ouvir o chamado, qualquer ser pensante, fica com a sensaçao de... Tá tirando? Mas a gente diz mais uma vez: a mídia fala e mostra, num mundo de realidade inversa onde a maior asneira sem coherência é realidade. Essa é associaçao ilícita terrorista, jornalistas afirmando a versao da fiscalia, repetindo da mesma forma que ajuíza no primeiro dia da detençao lía os cargos ignorando completamente todos os argumentos da defesa. Mas já o dissemos, essa é sua funçao. Estao alí para isso.

Jornalistas que vomitam fezes e cagam vômito

O papel da mídia tem sido fundamental na distorçao do passado e o presente desde que chegou o Jalandro. Afirmam, como o vil elo que sao dentro de uma sociedade de classes mediada pelo capital feito representaçao, o absurdo como obvio e é alí que esta sua funçao. Das invasoes anteriores sem detentxs, vasculham novamente os mesmos espaços e agora sim afirmam que há... a mídia apenas argumenta a respeito dos correios eletrônicos que o Fiscal Peña manda para que publiquem o que devem publicar. Normalizam a miséria do capital, a expropiaçao de toda nossa atividade em mercadoria e legitimam para isso a açao do Estado, abaixam as calças para ser penetradxs por si mesmxs: porque nao estao a serviço do poder, mas sao uma expressao dele mesmo, uma expressao do domínio do capital. Estao publicitando a existência de supostos "instrutivos" que para a mídia do mercurio por exemplo (cuidado com os nomes que esses eskrotos escrevem) sao quase esquemas de supostas operaçoes armadas (foi isso que disseram numa dessas segundafeiras), publicando além do mais troços do informativo policial (e depois reclamam que nós publicamos a aliança entre policiais e jornalistas, mas elxs o colocam entre aspas para desacreditar... Se obtêm esses informes e chegam quando os policiais os chamam, nao é uma associaçao?), afirmando mentiosamente que estes diabolicxs seres anarquicos estariam dispostxs a MATAR com tal de atingir seus objetivos. Sim, realmente a merda deixou de sair pelo cú dos jornalistas e começa a sair pela boca, com bafo putrefacto. A mídia expoe as exposiçoes ridículas como provas contundentes. Nem por isso exigimos parcialidade, jamais! Elxs estao alí por isso mesmo, é sua funçao. Diante dos propagandistas dos fiscais, os que pretendem encarcerar nossos irmaos, os que espancam quando podem nossxs companheirxs, os que publicitam cotidianamente a miseria do capital como a normalidade, os que desacreditam aos Peñis em greve de fome... saibam muito bem o que fazer quandoos vir pois eles sao o elo em todo o aparato de dominaçao, fazem parte do mesmo. Tao dementes e risíveis eram as provas e acusaçoes, que durante a leitura de porque estavam sendo acusadxs xs compas causou risadas até a eles mesmos pela tremenda imaginaçao e ridizulez dos cargos. A mídia repetiu as asneiras como imbecís, com a clássica manipulaçao: argumentaçao de imputaçao em delito mas sem enunciar a argumentaçao. Fácil, o consumidor de informaçao se abastece de titulares e especulaçoes. Qualquer pessoa atenta perecebe que é uma manobra da mídia. na miséria cotidiana se consome a informaçao, apropiam-se do titual e o resto sobra.

Os advogados defensores pedem a anulaçao do julgamento pois somente se frisa a imputaçao dos delitos mas nao se oferece nenhum argumento coerente com a existencia de uma associaçao ilícita de caráter terrorista que como diría Peña "querem gerar terror"... a gente fica se perguntando. Terror a quem? Você sente terror com a explosao dos vidros de um banco lá pelas 4 horas da madrugada embora este tenha um papel de "fora de funcionamento" para que nao entre? Terror é o que tem a propriedade privada, o capital. Esse é o único terror que existe, e é por isso o único que aplica verdadeiro terrorismo é o Estado/Capital que esta teima através da "autônoma" justiça em fazer acreditar algo que só existe na cabeça desse pequeno fiscal. A gente adoraria discutir o status ontológico de "grupo terrorista"...uma daquelas discussoes de bar mas sabemos que era um bêbado odioso, por isso deixamos que cada um se questione sobre o lixo que a mídia repete a pedido dos fiscais. Dizem que a investigaçao pode durar até 2 anos, para depois disso começar o julgamento. O que rolou com as provas tao contundentes? Você, colega que está lendo. Isso é ou nao é uma guerra? tenha cuidado porque em qualquer momento x podem acusar de terrorismo. Tenha todo o resguardo mas nao deixe de manter sua posiçao diante da sociedade de classes. A caça às bruxas nao vai parar até que o Estado/capital seja demolido pelo proletariado. E tudo isto nao vai nos desmoralizar. Já está demonstrado que a solidariedade os assusta. Demonstrou-se o potencial negativo e de rejeiçao ao estabelecido que tinha a simples colocaçao de artefatos explosivos e isso foi vinculado com bibliotecas antagônicas. Esta demonstrado que quando nos reconheçamos na posiçao de rejeiçao na vao nos parar e vamos desenvolver formas ainda mais efetivas de continuar esta histórica luta. O que ocorreu no Centro de Justiça no dia da formalizaçao das acusaçoes mostra como nos podem temer... Como solidárixs "obrigam' o espado a desdobrar todo seu armamento. O que vai rolar quando a gente seja mais de cem e com formas mais certeiras de bater?

A SOLIDARIEDADE É UMA ARMA

Embaixada do Chile em Brasília para dirigir seu protesto em solidariedade a liberdade dxs presxs!!!

Para mandar fax em protesto ou o que a imaginaçao sugerir:


Endereço: SES Avenida das Nações Quadra 803 lote 11 - Asa Sul, DF.
Cep: 70407-900

Telefone: (55) (61) 2103-5151
Fax: (55) (61) 3322-0714
email: embchile@embchile.org.br

Horário de atençao:

* Segunda a Quinta: 09:00 a 13:00 hrs. e de 15:00 a 18:00 hrs.
* Sexta-feira: 09:00 a 13:00 hrs. e de 15:00 a 17:00 hrs.

SOLIDARIEDADE INTERNACIONAL

Modelo de fax, baseado na solidariedade dxs compas da Espanha

SOLIDARIEDADE INTERNACIONAL COM XS PRESXS POLÍTICXS CHILENXS


Consulado do Chile en Porto Alegre/Moinhos de Vento/RS:
Consulado
Endereço: Rua Padre Chagas N°79, Conj. 602
Cidade: Porto Alegre
Telefones: (+55-51) 33463970
Fax: (+55-51) 3463970
Mail: congechilepoa@congechile.com.br
Página Web:www.congechile.com.br

Consulado do Chile em Bairro Nova:
Endereço: Av. Rod. Augusto Montenegro 4400
Cidade: Bairro Nova/Marambaia
Telefones: (+55-91) 2480022, 2481313
Fax: (+55-91) 2482326
Mail: conhochile.bel@terra.com.br

Consulado do Chile em Florianópolis:
Endereço: Avenida Rio Branco, 387. Ed. Rio Branco - 4 Piso
Cidade: Florianópolis SC
Telefones: (+55-482) 2242394, 9801431
Fax: (+55-482) 2242394
Mail: cchile@bol.com.br

Consulado do Chile em Recife:
Endereço: Av.Barbosa Lima N°85
Telefones: (+55-81) 2243740, 2242834
Fax: (+55-81) 2245758
Mail: dpaula@elogica.com.br

Consulado do Chile em Sao Paulo:
Endereço: Avenida Paulista 1009; Piso 10 andar cj. 1001
Telefones: (+55-11) 32842148, 32842185, 32842044
Fax: (+55-11) 32842097
Mail: cgspaub@attglobal.net
Página Web: www.congechilesaopaulo.org.br

Consulado do Chile no Rio de Janeiro:
Endereço: Praia Do Flamengo 344, 7° Piso, Andar
Teléfono/s: (+55-21) 25516397, 25525399, 25525349, 25529987
Fax: (+55-21) 25536371
Mail: cchilerj@tierra.com.br

Consulado do Chile em San Francisco Do Sul:
Endereço: Rua Babitonga Nº195
Teléfono/s: (+55-19) 32333077
Fax: (+55-19) 32310772
Mail: consulchile-cps@oul.com.br

Consulado do Chile em Aracaju/Sergipe:
Endereço: Rua Jovencito Alves Nº 136, Salgado Filho
Telefones: (+55-79) 2220731
Fax: (+55-79) 2220339

Consulado do Chile em Belo Horizonte
Endereço: Rua Zuzu Angel Nº 356
Bairro Belvedere
Telefones: (+55-31) 4225106
Fax: (+55-31) 4225106
Mail: chc.bh@brfree.com.br

Consulado do Chile em Salvador/Bahia:
Endereço: Rua Pernambuco N° 153 sala 209, Edif.Esplanada Av. Pituba
Telefones: (+55-71) 3454141
Fax: (+55-71) 2483618
Mail: chile.bahia@ig.com.br


Modelo de Fax:

ALERTA AO ESTADO CHILENO E SEUS SEGUIDORES

Nos dirigimos a vocês após o golpe repressivo e jornalístico do passado 14 de Agosto chamado "Operaçao Salamandra", onde nossxs companheirxs anarquistas foram detidxs e formalizadxs sob a acusaçao de "associaçao ilícita e colocaçao de artefatos explosivos”, ficando oito deles em prisao preventiva. E posteriormente dois delxs tendo sua saída às ruas revogada, ficando até agora 10 delxs em prisao preventiva.

A tao anunciada e esperada caça ao anarquista está se fazendo efetiva, após anos de penosas investigaçoes, com seus correspondentes vasculhamentos e invasoes, perseguiçoes, grampos telefonicos, intervençoes em correios eletrônicoos, etc, restando de tudo isso o amontoado mais absurdo de provas, que ofende a inteligência de qualquer pessoa com o mínimo de decência e respeito pela vida alheia. As maiores asneiras e armaçoes estao sendo usadas para justificar uma truculência deshumana que o Estado chileno está dirigindo axs que ousam se opor a seu domínio. Tao absurdas sao as provas que a fiscalia ainda dispoe de 180 dias para a investigaçao do caso.

Se vocês pensam que estaremos esperando impassíveis enquanto nossos companheirxs permanecem encarcerados nas prisoes de segurança máxima estao muito enganados!

Sabemos que tudo isto faz parte de um golpe ao avance da ofensiva contra o poder e a autoridade. Nao existem líderes, nem financamento internacional, nem organizaçao hierarquica alguma mais do que a turva imaginaçao do fiscal Peña.

Diante deste teatro político-jornalístico nossa posiçao é clara:

NAO VAMOS DESCANSAR ATÉ VER NAS RUAS A TODXS NOSSXS IRMAXS!

Exigimos a imediata posta em libedade dxs 10 anarquistas seqüestrados pelo estado chileno!

SE COLOCAREM UM DEDO ENCIMA DE UM/UMA ESTAO MECHENDO COM TODXS!

SOLIDARIEDADE INTERNACIONAL COM XS ANARQUISTAS PRESXS!

CHEGA DE TERRORISMO DE ESTADO E REPRESSAO AXS ANARQUISTAS NO CHILE!



É ISTO O QUE DEFENDES COM TANTA CONVICÇAO?
A LEGITIMAR ISTO VOCÊ PRETENDE QUE A GENTE DEDIQUE NOSSA VIDA?
POR LUTAR CONTRA ISSO ESTAMOS SENDO ACUSADXS DE TERRORISMO?

LIBERDADE AGORA A NOSSXS COMPANHEIRXS!!!

Rejeitam saida às ruas xs compas do 14/08 e aceitam a volta a prisao preventiva para dois delxs


A Corte de Apelaçoes de San Miguel ratificou nesta quinta a prisao preventiva para xs imputadxs na investigaçao do "caso bombas" por considerá-lxs um perigo para a segurança da sociedade.

A Quarta Sala do tribunal rejeitou a apelaçao apresentada pela defesa dxs acusadxs que permanecem recluídxs desde o 18 de agosto passado logo que foram formalizadxs na investigaçao por associaçao ilícita terrorista e colocaçao de artefatos explosivos e/ou incendiários. Tal apelaçao consistia em rejeitar a prisao preventiva em troca de medidas cautelares como, assinatura semanal, arraigo nacional, etc...

Da mesma forma, a corte revogou a saída às ruas de Carlos Riveros e Camilo Pérez, os que tinham obtido a saída na formalizaçao dos cargos de 15 horas da terça 17. A prisao preventiva para estes companheirxs foi solicitada pelo fiscal encarregado do "caso bombas" e a querelante é a Igreja Paroquia Imaculada Concepción de Vitacura.

Agora apenas restam na rua e com medidas cautelares Candelaria Cortés, Diego Morales, Iván Goldenberg e Cristián Cancino. As restriçoes consistem em: arraigo nacional, proibiçao de se comunicar entre sí, assinatura semanal e proibiçao de visitar a qualquer dxs companheirxs em prisao preventiva.

Agora xs companheirxs em prisao preventiva sao 10:

Pablo Morales.
Rodolfo Retamales.
Omar Hermosilla.
Vinicio Aguilera.
Francisco Solar.
Felipe Guerra.
Camilo Pérez.
Carlos Riveros.
Mónica Caballero.
Andrea Urzúa.

Todxs xs companheirxs encontram-se seqüestrados na Seçao de Máxima Segurança do Cárcere de Alta Segurança de Santiago.

As companheiras se encontram seqüestradas na Seçao Especial do Centro Penitenciario Feminino (ex-COF).

A um ano da morte, apenas minha opiniao

____________________________________________________________________________________________________________________________

____________________________________________________________________________________________________________________________

Se a época atual é infâme, infames somos tdxs xs que compomos esta sociedade inhumana. Cada ato nos obriga a participar, independentemente da opiniao, na engranagem social-produtiva ditada pelos nossxs mestres, oráculos, doutores, escritorzinhxs e filosofastrxs.



Crescemos determinados pelo entorno que nos recebe e pelas condiçoes materiais desta existência: Determinados por relaçoes políticas, religiosas, sociais; por hábitos, costumes e preconceitos elaborados lentamente pelos séculos passados e dxs quais jamais fomos criadores, mas seus produtorxs primeiramente, e logo, seus instrumentos.

Nada máis difícil é praticar a substraçao diante a um estado que aplica o princípio de autoridade com a força de sua legislaçao e a sabedoria oficial: magistrados, governo, prevençao, repressao, todos os dogmas sobre os que descansa a segurança política e civil. A soberanía, a lógica que surge do código, o absoluto, o contrato social e a verdade pública: Cada um desses elementos de seu jeito nos sufoca diáriamente.

Nunca antes, o reino do capital tinha visto e desfrutado de seu máximo esplendor nem tinha afirmado, com soberba e insolêmcia, o fim da
história (a história é a história da luta de classes). Seu insofrível autosatisfaçao marca sua pegada arrogante sobre tudo e criou a nossas custas e sorimentos um mundo estúpido, vazío e tao firmemente estebelecido que lutar contra isso parece uma loucura.

Porém, oasis de frescor, vivxs, mutantes, mutadxs, hostís, felizmente renascem desta inféril merda passiva que adestra com passos repetitivos. Seres que em sua individualidade assumem conhecimentos instintivos para especular intelectualmente e gerar sua consciência própria. Sujeitxs que nao disfarçam de caridade ou autocomplacência sua solidariedade e a manifestam se dspreender por bens tangiveis que vestem ou alimentam o próximo, mas que sao micro-tempestades naturais e violentas que reagem dignamente contra as injustiças. Obstinadxs, temisxs que nao estao interessadxs em refletir sobre a despropoçao e suas causas, e que portanto nao duvidam em colocar em prática a heresia.


Essa crúa consagraçao à teoria feita açao leva à certidao limitante do amor e da vida, intrínseca tragédia de revolucionários e revoltadxs e o destino de andanças que nao se escondem em suaves estilos de palavras nem expressoes pusilânimes.

Acordadxs da letargia e considerando-se incompatíveis propiciaram exaltadxs suas furias antes refugiadas no mimetismo fácil desta sociedade cautelada.

Com medos e audácias, mimetizadxs em pancadas sinceras e certeiras, estimularam objetivos que nao buscavam persuadir, mas castigar e destruir.

Salitre, enxofre, carvao, bala, morte ao opressor.

Compreensíveis atos de amor e ódio.
Jamái xs vimos mais vivxs. Jamais serao mais contra xs justiceirxs. Jamais haverá tanta dor como quando o perdemos.

Por outro lado ficamos xs que estebelecemos afinidades, confiança, amizade, companheirismo com elxs. Axs que nos incomoda sua martirizaçao, mas nao sua lembrança. Somos os que compreendemos que a tradicional deificaçao é herança somente de condutas mitificadoras que omitem o real sentido de seus exemplos, isto é: a trascendência de seus atos. Aquilo que é de todxs e de ninguém: Essa que é para recebê-la, aperfeiçoar e evitar os erros que causaram a sua perda. Aquela que nos convida a tomar a mesma viagem sem mais bagagem do que a vontade e que esqueça a necrolatría em prol do substancioso das presunçoes deduzidas do empiricamente demonstrado.

A vida de nossxs caídxs começa, caminha e se renova a partir da lucidez que nos envolve como conjunto antissocial; a saber: nao reincidir em erros dolorosos.

O Mauri, importante impulsor do improprio e divergente, deixou fatos que valorizamos pela cumplicidade que nos atrai, mas que sendo um igual, o amamos e criticamos somente pelo que foi e nao pelo que tem sido. Assim relembramos o vulneráveis que somos sem diminuir os sonhos que nos convocam porque temos sido mais do que testemunhas de seu depoimento.

Essa é nossa simplicidade.


Axel Osorio.
Cárcere de Alta segurança
Maio 2010.-

PÓLVORA NEGRA

____________________________________________________________________________________________________________________________

Queridxs compas, desde o lugar do extermínio, queremos lembrar em nossa memória a todxs aqueles irmaos que têm ousado elevar a dignidade humana, tao alta que nao alcance a destruiçao implantada pelo sistema policial, a quase um século de fascismo.

Irmaos, cada jovem olha com amplitude de vida, que nao poderao controlar nem manipular, já que somos sementes de crescem para elevar a humanidade de cada ser que empreende a viajem de velar pelo memorial de uma reaçao direta em contra do sistema que fará eclodir as muralhas que detêm a vida de um sistema carcerário.-

Que o maior sonho de um ser nao é que as utopias sao reais, mas que existe um verdadeiro acionar entre nós, para destruir e voltar a construir uma sociedade real que vá além de um sistema implantado por burgueses e fascistas.-

É por isso que hoje fazemos uma parada em nosso diário viver para elevar o nome daquele que se tornou pólvora para chegar a estremecer o sistema. Sempre será um exemplo de rebeldia para as geraçoes que hoje emergem com suas bandeiras de libertaçao.- Mauricio Morales Duarte sempre estarás em nossas memórias rebeldes como tu…
Guerra Social!! Agora!!
Colectivo22 de Enero

Sergio Vasquez Barrientos
Alberto Olivares Fuenzalida
Seçao Modulo “A”
Centro de extermínio ex Penitenciaria de Santiago Modulo “A”

“…Para nós nao existem nem culpadxs nem inocentes, essas distinçoes sao válidas somente para xs que assimilaram os "valores" do domínio capitalista…”

COLABORAÇAO ENVIADA ANÔNIMAMENTE

SÁBADO 9 DE MAIO DE 2009

* colaboraçao enviada anônimamente

Nao é novidade para nós, ou nao deveria ser, que os grupos de inteligência das polícias de diversos estados estejam estreitamente vinculadas, e trabalham em conjunto nao só para compartilhar a informaçao pontual, mas com a idéia de aprender dos diversos mecanismos e ferramentas de repressao, tanto ideológicos, como tecnológicos e legais.

Neste quadro, devemos estar atentxs, e informar que a Polícia Chilena, esta sendo assessorada hoje pelos organismos da inteligência da polícia italiana, assim como é sabido que o fiscal Marini, ou algum de seus subordinadxs, esteve também no $hile. Nao sabemos desde quando, pode que seja desde sempre (nao é casual que lá o nome seja carabinieri e no $hile Carabineros). Esta assessoria se dá, no contexto das investigaçoes pelos mais de 90 ataques às instituiçoes do poder, nestes últimos anos, reivindicados por anarquistas. A polícia $hilena esta desesperada por mostrar resultados.

O porqué da assessoría da polícia italiana tem elaçao com a razzia repressiva executada pelos carrascos italianos nos chamados “caso Marini” (1994) e “caso Cervantes” (2004).

No “caso Marini”, entre outras, as acusaçoes ficam divididas em "associaçao subversiva”, “bando armado” e “encobrimento”. Isso permitiu que a razzia repressiva atingisse nao apenas a xs que supostamente tinham realizado os diversos ataques ao capital, mas também axs que puderam se considerar como "Rede de Apoio”. Configuróu-se a existência de uma “organizaçao” com dois níveis: “o primeiro nível aberto e público, que é representado pela atividade política no âmbito do movimento, desde os debates nos denominados centros sociais ocupados, até as manifestaçoes, as publicaçoes e os congressos"; e no segundo nível, compartimentado e oculto, cuja finalidade é a comissao de atividades ilegais como atentados, assaltos, seqüestros de pessoas e outros delitos...”.

O “estado italiano desdobrou uma operaçao de razzia sobre aqueles anarquistas de sobra conhecidxs por sua contínua atividade durante anos. A marca de culpado foi atribuída a várixs companheirxs que tinham já causas pendentes”.

Os detalhes jurídico-policiais de ambos casos, seriam muito longos para contar, além de entediantes, mas em síntese sería importante saber que acabaram com um elevado número de invasoes, vasculhamentos e detençoes. A intençao era construir na sociedade a imagem de uma organizaçao anarquista insurreicionalista e se constitur numa "operaçao de castigo, intimidaçao, que nao é só contra xs anarquistas, ma contra todxs aqueles que tentem ver além do pensamento único e do adoutrinamento cotidiano. Quem se opoe ao sistema é registradx, fichadx, e inclusive pode ser detidx com acusaçoes exorbitantes. Castigar a “algumas/uns”, axs que tiver a maior alance, pelo preço que for, com a va esperança de que assim talvez o resto aprenda. Tudo isso demonstra que o Estado/Capital baseia-se na difusao do terror e do medo; além da monotonia cotidiana nao pode existir nada, só o castigo para xs que pretentam olhar além…”.

Acreditamos que é necessário que esta informaçao circula e seja conhecida, já sabemos, que "nossa" ignorância é uma dar armas que mantêm os poderosos para nos manter sob seu jugo. A idéia nao é cair na paranóia imobilizante, numa espécie de psicose coletiva (embora xs covardes sempre existiram), já que é isso o que o inimigo quer para nós. O propósito é estar alerta, entender as claras mensagens enviados pela polícia através de seus históricos aliados, a mídia. Sería inmoral (para dizer o menos) que qualquer um que se diga anarquista, subversivx ou revolucionário se fingisse alheix a toda esta história. Cada uma/um deve saber de que lado da barricada se está.

“…Para nós nao existem nem culpadxs nem inocentes, essas distinçoes sao válidas somente para xs que assimilaram os "valores" do domínio capitalista…”